Ácido Esteárico

Classe: (E)xcipiente

Categoria: Adjuvante farmacotécnico

Grupo Químico: ácido graxo

Sinonímia: acidum stearinicum. ácido estearofânico, ácido cetil-acético. ácido octodecanóico, estearina, estearina de coco.

Concentrações de Uso

  • Como lubrificante de comprimidos: 1-3%
  • Como agente de consistência em cremes e pomadas: 1-10%
  • Como emulsionante auxiliar: 1%

Indicação Principal

Lubrificante de comprimidos e cápsulas, revestimento de comprimidos e pílulas, co-tensoativo, agente de viscosidade em pomadas e emulsões.
Usos: Interno e tópico

Descrição
Apresenta-se como massa dura, pó ou escamas cristalinas, de cor branca ou amarelada, untuoso, inodoro ou com ligeiro odor de sebo. A USP-NF e a BP especifica que deve estar constituído por uma mistura não inferior a 40% de ácido esteárico e não menos de 40% de ácido palmítico, e entre os dois não devem somar menos de 90%; também contém pequenas quantidades de ácido mirístico e oléico. Pode conter algum antioxidante, como o BHT a 0,005%. A USP-NF também mostra o ácido esteárico purificado, que se distingue do anterior em que o conteúdo de ácido esteárico e ácido palmítico que não deve ser inferior a 96%, enquanto que a quantidade de ácido esteárico deve ser superior a 90% do total.

Propriedades Físicas

  • Fórmula molecular: C18H36O2 (ácido esteárico puro).
  • Peso molecular: 284,5 (ácido esteárico puro).

Solubilidade: Praticamente insolúvel em água; solúvel em 20 p. de álcool, 2 p. de clorofórmio, 3 p. de éter, 5 p. de benzeno, 26 p. de acetona, 6 p. de tetracloreto de carbono e 3,4 p. de dissulfeto de carbono.

Ponto de fusão: Entre 60 e 65ºC.
Ponto de solidificação: Maior que 54ºC.

Identificação

  • Agitar 5 g da amostra fundida em um volume igual de água quente durante 2 minutos, esfriar e filtrar; o filtrado não se torna vermelho pela adição de 1 gota de laranja de metila (ácidos minerais).
  • Dissolver a ebulição 1 g da substância com 1,25 g de carbonato de sódio dessecado e 30 mL de água; a solução deve ser límpida ou, no máximo, com ligeira opalescência (graxos, parafina).
  • Cerca de 500 mg do produto não deve deixar, porcombustão, resíduo ponderável.
  • Índice de acidez: Entre 200 – 212.
  • Índice de iodo: Máximo 4.
  • Índice de saponificação: Entre 200 – 220.

Doseamento
Conforme a FB IV

Armazenamento e Conservação: Em locais frescos e secos, ao abrigo da luz.

Estabilidade e Incompatibilidades

  • O ácido esteárico é incompatível com substâncias catiônicas. Emulsões contendo ácido esteárico podem coalescer em valores de pH menores que 4,5 ou na presença de ácidos minerais.
  • É incompatível com hidróxidos e agentes oxidantes. Pomadas de ácido esteárico tendem a ressecar quando em presença de sais de zinco ou cálcio.

Usos

  • O ácido esteárico é utilizado como lubrificante na fabricação de comprimidos e cápsulas, a uma concentração de 1 – 3%, e como um revestimento entérico para pílulas e comprimidos gastrorresistentes.
  • De 1 – 20%, e parcialmente neutralizado com álcalis ou trietanolamina, utiliza-se para a formação de cremes base, empregado algumas vezes como emulsões evanescentes. O ácido esteárico livre nestes cremes, produz uma aparência perolada.
  • Os cremes de ácido esteárico podem aparecer rachados por ressecamento ou com grumos, devido as reações deste com sais de zinco ou cálcio.
Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Conectar-se
Patrocinadores